18/06/16

Bispo D. António dos Santos ministra Crisma na Igreja Matriz de Ovar - 3 de julho de 2016



D. António Francisco dos Santos, Bispo do Porto, deslocar-se-á, em 3 de julho, a Ovar, onde dará o Sacramento da Confirmação a 186 crismandos, jovens e adultos, das Paróquias de Ovar (S. Cristóvão, São João e S. Pedro), e das de Arada, Válega, S. Vicente de Pereira e Maceda, em celebração solene que terá lugar na Igreja Matriz às 16h30.

Na foto: D. António dos Santos, em abril último, quando da visita da Imagem Peregrina a Ovar

17/06/16

Vida Paroquial

Cursos de Cristandade





Via Sacra dos Cursos de Cristandade
Em 16 de junho, a Igreja Matriz de Ovar acolheu um numeroso grupo de cursistas, que quiseram fazer em Ovar a primeira ultreia de férias, despertando a boa vontade dos antigos cursilhistas vareiros. O padre Paulo, Passionista da Feira, presidiu quer à Via Sacra penitencial pelas intenções do cursilho que decorria na Casa de S. Paulo, em Cortegaça, quer à Eucaristia com que terminou a vigília.

Pela Catequese
Passeio de Catequistas
No próximo domin­go, dia 19, os catequis­tas da Paróquia de Ovar irão de visita a Pedrógão Grande, uma vila beiroa de grandes tradições históricas e patrimo­niais, particularmente na sua Igreja Matriz (na foto), cujo interior apresenta um traçado semelhante à de Ovar.

Reunião mensal de Catequistas
A última reunião mensal de Catequistas foi de balanço e de avaliação do ano de trabalho, em que todos refletiram sobre os momentos mais positivos e os menos agradáveis, do itinerário catequético representado por um caminho em que cada um dos presentes se revia nos símbolos encontrados no percurso: nas flores, nas pedras e nos rebuçados.





Grupos Bíblicos
Em 22 de junho, no Instituto Jesus Maria José, Ovar, os Grupos Bíblicos das paróquias de Ovar, S. Vicente de Pereira e Arada, reuniram com a Irmã Rosa, das Religiosas Paulinas, do Porto, dinamizadora deste movimento, que procura promover o estudo dos textos bíblicos.
O encontro versou sobre o chamamento dos Apóstolos, a partir da leitura de um Evangelho de S. Lucas, que foi recriado e aprofundado através de representações cénicas e de reflexões feitas pelo Pároco de Ovar e pela Irmã Rosa.

Válega em Jubileu
A paróquia de Válega viveu a sua peregrinação do Jubileu do Ano da Misericórdia no passado sábado, dia 18 de junho, na Igreja Matriz de Ovar, com a chegada às 10h30 a esta Igreja Jubilar, onde decorreram os ritos celebrativos relacionados com a Porta, a Pia Batismal, a que se seguiram o confessionário, o altar, momentos da Profissão de Fé, das Indulgências e das obras de Misericórdia, terminando com a celebração da Missa, presidida pelo pároco, padre Fernando Carneiro, acompanhado pelo coro da Catequese da paróquia valeguense.





Cerca das 12h30, e como fora programado, os participantes dirigiram-se para o Parque Urbano, procurando, nas zonas verdes, um lugar para o almoço, estendendo sobre a relva os seus farneis. Tudo simples, natural e prático.

Vida Paroquial

Cursos de Cristandade


Via Sacra dos Cursos de Cristandade
Em 16 de junho, a Igreja Matriz de Ovar acolheu um numeroso grupo de cursistas, que quiseram fazer em Ovar a primeira ultreia de férias, despertando a boa vontade dos antigos cursilhistas vareiros. O padre Paulo, Passionista da Feira, presidiu quer à Via Sacra penitencial pelas intenções do cursilho que decorria na Casa de S. Paulo, em Cortegaça, quer à Eucaristia com que terminou a vigília.

Pela Catequese
Passeio de Catequistas
No próximo domin­go, dia 19, os catequis­tas da Paróquia de Ovar irão de visita a Pedrógão Grande, uma vila beiroa de grandes tradições históricas e patrimo­niais, particularmente na sua Igreja Matriz (na foto), cujo interior apresenta um traçado semelhante à de Ovar.

Reunião mensal de Catequistas
A última reunião mensal de Catequistas foi de balanço e de avaliação do ano de trabalho, em que todos refletiram sobre os momentos mais positivos e os menos agradáveis, do itinerário catequético representado por um caminho em que cada um dos presentes se revia nos símbolos encontrados no percurso: nas flores, nas pedras e nos rebuçados.


Grupos Bíblicos
Em 22 de junho, no Instituto Jesus Maria José, ovar, os Grupos Bíblicos das paróquias de Ovar, S. Vicente de Pereira e Arada, reuniram com a Irmã Rosa, das Religiosas Paulinas, do Porto, dinamizadora deste movimento, que procura promover o estudo dos textos bíblicos.
O encontro versou sobre o chamamento dos Apóstolos, a partir da leitura de um Evangelho de S. Lucas, que foi recriado e aprofundado através de representações cénicas e de reflexões feitas pelo Pároco de Ovar e pela Irmã Rosa.

Válega em Jubileu
A paróquia de Válega viveu a sua peregrinação do Jubileu do Ano da Misericórdia no passado sábado, dia 18 de junho, na Igreja Matriz de Ovar, com a chegada às 10h30 a esta Igreja Jubilar, onde decorreram os ritos celebrativos relacionados com a Porta, a Pia Batismal, a que se seguiram o confessionário, o altar, momentos da Profissão de Fé, das Indulgências e das obras de Misericórdia, terminando com a celebração da Missa, presidida pelo pároco, padre Fernando Carneiro, acompanhado pelo coro da Catequese da paróquia valeguense.



16/06/16

Imaculado Coração de Maria – Fátima, Porto e Ovar


Na edição do semanário “Voz Portucalense” de 15 de junho de 2016 foi publicado o seguinte texto do Diretor do jornal “João Semana”, P.e Manuel Pires Bastos.


A primeira imagem do Imaculado Coração de Maria 
 Porto foi o berço, Ovar é o altar

Tendo a “Voz Portucalense” de 25 de maio último transcrito do “João Semana” de 15 de maio um texto em que se afirma que Ovar se orgulha “por possuir na sua Igreja Matriz, desde 12/07/1946, a primeira imagem do Imaculado Coração de Maria revelada aos pastorinhos de Fátima”, entendemos compartilhar com os leitores alguns elementos complementares e probatórios desta informação, desconhecida da generalidade dos portugueses.

Imaculado Coração de Maria, 
na Igreja Matriz de Ovar, desde 1946
FOTO: Fernando Pinto

Achamos oportuno fazê-lo não só por estarmos a preparar o primeiro centenário das Aparições e por ter ocorrido há pouco a festa litúrgica do Imaculado Coração de Maria, mas ainda por essa imagem ter sido esculpida na diocese portucalense, de onde nunca se ausentou.
Trata-se de uma imagem singular, “a primeira que em Portugal se esculturou segundo as indicações da vidente de Fátima” (“João Semana”, 25/07/1946). Adquirida na Casa França, do Porto[1], por um generoso ovarense, Dr. Salviano Pereira da Cunha e Costa, esta imagem foi recebida solenemente na Igreja Paroquial de Ovar em 12 de julho de 1946, passando, com licença do bispo do Porto, a presidir ao altar antes ocupado por uma antiga imagem do Coração de Maria[2].

História de uma Imagem única
Após um retiro em Fátima, em setembro de 1942, as Religiosas do Sagrado Coração de Maria idealizaram representar Nossa Senhora no momento em que mostrou aos pastorinhos, nas aparições de 13 de junho e 13 de julho de 1917, o Seu Imaculado Coração.
A ideia foi ganhando forma a partir de sucessivos ensaios e esboços, em que interveio, com achegas e correções, a Irmã Lúcia, então a residir em Espanha. A última alteração, feita pelo próprio punho, chegou em carta de 10/10/1943, acompanhada pelo seguinte texto:
“A mão direita mais à altura do hombro como que refletindo, ao mesmo tempo para os assistentes. Do lado esquerdo, o manto caindo menos para diante. O coração com os espinhos à volta. Nem o coração, nem as mãos nem a imagem tinha raios, era luz, reflexo. Não tinha cordão, nem facha, mas formava sinto, com algum franzido no sinto e pescoço”.

Fig. 1 - Desenho do Imaculado Coração de Maria, com correções (do manto, das mãos, do coração), 
feitas a lápis pela Irmã Lúcia (1943), respeitadas na 1.ª versão da escultura da Casa França (na fig. 2)
Fig. 2 - A 1.ª imagem do Imaculado Coração de Maria esculturada entre 1945/46 pela Casa França,
que seguiu com rigor as indicações da Irmã Lúcia, e que se encontra, desde 1946, na Igreja Matriz de Ovar

A representação em estampa
Feito novo estudo, foi este aprovado ainda em dezembro de 1943 pelos senhores Cardeal Patriarca e Bispo de Leiria, e logo em abril de 1944 “aparecia, finalmente, a edição definitiva da representação do Coração Imaculado de Maria, tal como se tinha manifestado aos videntes de Fátima em 13 de Junho de 1917”[3].
Em abril de 1944, a Madre Chantal chamou a Lisboa o escultor José Ferreira Thedim, com a intenção de o convidar a executar a imagem. Por razões que aduziu, mas que desconhecemos, foi-lhe impossível aceitar o honroso convite, deixando a Irmã em situação embaraçosa, tanto mais que tinha como meta dotar os seus colégios com uma imagem devocional da patrona da Congregação[4].

Imagem… “desaparecida”?
Embora nos tenhamos empenhado na procura de dados documentais sobre os factos sequentes a essa recusa não os encontrámos, tal como não no-los deixaram os estudiosos de Fátima.
O próprio Reitor do Santuário, Monsenhor Antunes Borges, no seu estudo “Como surgiu a primeira Imagem do Imaculado Coração de Maria”, escreveu em 1969, a propósito da ida de Thedim a Lisboa: “Ali recebeu todas as informações necessárias para aparecer a primeira imagem do Coração Imaculado de Maria em conformidade com os dados fornecidos pela vidente Lúcia de Jesus. Era muito justo que assim se procedesse, tanto mais que, nesta representação, deveriam aparecer as mesmas feições da Senhora da Capelinha das Aparições. Longa foi a expectativa, não chegando sequer a aparecer aquela primeira imagem, que devia servir de modelo para todas as outras[5]”.

Pormenor da imagem do Imaculado Coração de Maria, 
na Igreja Matriz de Ovar, desde 1946

FOTO: Fernando Pinto

O título dado por Antunes Borges ao seu estudo leva a concluir que, pressupondo-se que já não existe “aquela primeira imagem” (a de 1946), outra (a de 1949) tomará o seu lugar pioneiro. Esta conclusão tirou-a a própria Irmã Lúcia, que, regressando ao Porto em 16 de maio de 1946, nunca pensou que a imagem em que colaborou, e que se julgava perdida, estava, afinal, bem viva, prestes a partir, dois meses depois, humilde e submissa, para a Paróquia de Ovar. Por isso haveria de afirmar, em carta dirigida a D. Maria Teresa Pereira da Cunha, em 11 de agosto de 1949: “A imagem do Coração Imaculado de Maria, não consegui que se fizesse senão após a minha vinda para o Carmelo” (1948).
No livro “Um caminho sob o olhar de Maria”, editado pelo Carmelo de Santa Teresa de Coimbra em 2013, o assunto é assim referido:
“Há muito que a Irmã Lúcia desejava que se fizesse uma imagem representando Nossa Senhora na posição tomada quando mostrou o Seu coração Imaculado. Tinha feito diligências e deu indicações, por duas vezes vestiu uma menina representando esta aparição, para ser fotografada e servir de modelo, mas nunca acontecia. Quando se tratou da Peregrinação Mundial, era seu desejo que a imagem fosse a do Imaculado Coração de Maria. Mas não foi. Até que tudo se resolveu” [6].
Só que este tudo se resolveu refere-se não à primeira imagem, de 1946, saída da Casa França para Ovar, para a qual “deu indicações” mas, sim, à que, quase três anos depois, em 25 de março de 1949, saída das mãos de José Ferreira Thedim, entrou no Carmelo de Coimbra, sendo benzida pelo Sr. Bispo de Coimbra[7].

O real e o tradicional
Uma palavra final: compreendemos o desconhecimento dos investigadores de Fátima em relação à primeira imagem do Imaculado Coração de Maria de Ovar (1946), em que tanto se empenharam as religiosas do Sagrado Coração de Maria e a própria Vidente Lúcia das Dores, imagem que, face às circunstâncias extraordinárias vividas no Santuário, em vésperas do Tricentenário da Padroeira de Portugal, Nossa Senhora da Conceição, foi subalternizada em favor de outras imagens, mormente a
Imagem Peregrina (1947), cuja execução foi assumida por José Ferreira Thedim, e à imagem do Carmelo de Coimbra (1949), também do mesmo artista, e que tem sido referida como a primeira do Imaculado Coração de Maria a ser confecionada.

Na base da imagem do Imaculado Coração de Maria, de Ovar, 
consta a assinatura da Casa França: "França, Esculp Porto - 1946"
FOTO: Fernando Pinto

Irmã Lúcia, junto à imagem que José
Ferreira Thedim esculpiu em 1949,
e que se encontra no Carmelo de
Coimbra
Estranhamos o secretismo que acompanhou a entrega e a execução desta obra à Casa França, bem como ignoramos a data em que foi terminada. E lamentamos profundamente que a Irmã Lúcia, após o seu regresso ao Porto, tendo a imagem tão perto nunca a tivesse enxergado.
Sobreviveu nas páginas do jornal “João Semana”, onde, providencialmente, a encontrámos em 2005, quando procurávamos notícias de um congresso do Coração de Jesus, e permanece viva na Igreja Matriz de Ovar, onde se encontrou, em 10 de abril último, com a Imagem Peregrina, e onde espera cada um de nós.
Marco Daniel Duarte, na sua dissertação de doutoramento “Fátima e a criação artística (1917-2007): o Santuário e a Iconografia – a arte como cenário e como protagonista de uma específica mensagem", Coimbra, 2013, em quatro volumes, depois de reconhecer como “muito plausível” a nossa argumentação, estacionou assim perante a imagem do Carmelo de Coimbra: “Trata-se efetivamente, da primeira imagem escultórica do Imaculado Coração de Maria, pelo menos a que tradicionalmente se aceita como tal”.
Esperamos que, no caso da imagem de Ovar, a tradição se vergue definitivamente à força da razão.

Texto: Padre Manuel Pires Bastos,
Pároco de Ovar e Diretor do jornal "João Semana"


Notas:
[1] Na base da imagem consta: França, esculp Porto - 1946.
[2] “João Semana”, 25/07/1946.
[3] As revelações do Imaculado Coração de Maria estão datadas de 13 de junho e 13 de julho de 1917 (em Fátima), 10/12/1925 e 17/12/1927 (em Pontevedra) e 13/06/1927 em Tuy.
[4] Thedim terá sido convidado pelos responsáveis de Fátima e pelo Bispo de Leiria para tarefas urgentes relacionadas com a proximidade do Tricentenário da Padroeira de Portugal (1646-1946), tais como a necessidade de novas imagens para visitas no país e no estrangeiro. A Imagem Peregrina de José Thedim, com a colaboração da Irmã Lúcia, foi benzida em 13 de maio de 1947 pelo Arcebispo de Évora.
Chegámos a pôr a hipótese de Thedim ter iniciado a imagem, deixando-a incompleta, abrindo caminho não só a Albano França, que a completaria, como a outros artistas, que se encarregariam das imagens dos Colégios das Religiosas do Sagrado Coração de Maria. (A de Lisboa tem a serpente aos pés).
[5] “Fátima 50”, ano II, n.º 23.
[6] Um caminho sobre o olhar de Maria”, pág. 352.
[7] Uma outra imagem muito semelhante tinha já sido oferecida pelo escultor, um ano antes, à vidente, na sua entrada para o Carmelo, mas que não tinha sido aprovada pela Irmã Lúcia.


Este texto poderá ser enriquecido com novas informações de investigadores ou de leitores sobre pormenores ainda não conhecidos.

Profissão de Fé deu fecho ao ano de Catequese

Grupo de crianças que fizeram a sua Profissão de Fé em 12 de junho na Paróquia de Ovar, acompanhadas do Pároco e catequistas. Serviu de tema da celebração, uma simbólica árvore onde depuseram os propósitos feitos em recente retiro em que se integraram, quais sementes em maturação, capazes de produzir, no futuro, os frutos de que o mundo carece.


Santos populares

Imagem de Santo António, no nicho da sua capela, na Praça de Ovar
FOTO: Fernando Pinto

Santos populares. Santos que os estudiosos associam a tradições milenares da passagem da primavera para o verão, e que têm 24 de junho (S. João, Precursor de Cristo) como data convergente e mais marcante, e as de 13 de junho (Santo António de Lisboa e de Pádua) e de 29 de junho (de S. Pedro, apóstolo de Cristo) como início e fim desta quadra festiva.
Cada um destes Santos possui, em Ovar, Capela própria, onde, com maior ou menor solenidade, é celebrada anualmente a sua memória. (A capela de Santo António data de 1693; a primitiva de São João é citada em documento do século X, e a de São Pedro deu lugar, no século XVIII, à capela do Calvário, onde o Apóstolo tem altar próprio.
Como vem sendo habitual, de 1 a 13 de junho, de 2.ª a 6ª feira, a Missa Paroquial das 19 horas foi celebrada na Capela, e no dia 13 a Missa da manhã teve como celebrante o P.e Manuel Alves, do Seminário de Cucujães, que, no final, procedeu à bênção do pão, e a Missa das 19 horas, que encerrou os atos religiosos, foi presidida pelo Pároco. Em ambas as celebrações colaborou um grupo coral formado por elementos dos coros das capelas de Santo António e do Furadouro.
Fora do culto li­túrgico, conserva-se, na Capela de Santo António, a tradição da bênção do pão de Santo António, destinado aos pobres e distribuído a todos os presentes no fim das missas do dia 13.


Um outro rito tradicional que lhe andava anexo, a bênção do gado (na foto), foi-se extinguindo desde há cerca de 30 anos, deixando-se agora de praticar.
Como atividades de diversão eram famosos, pelo São João, os pavilhões vareiros, com o seu mastro enfeitado, onde se dançava até alta madrugada. 

P. B.

15/06/16

Ano Jubilar

Na frontaria da Igreja Matriz de Ovar, sobre a porta principal (Porta Santa), estão escritas estas palavras: “Igreja Jubilar – Ano da Misericórdia – A alegria do Evangelho é a nossa missão”.
A indulgência própria do Ano Jubilar é uma graça concedida pela Igreja, à qual todos podemos ter acesso.
Condições indispensáveis para lucrar essa indulgência: a celebração dos sacramentos da Eucaristia e da Confissão, a caridade e a oração pelas intenções do Santo Padre.
O jejum e a abstinência são elementos essenciais na vivência do Jubileu.
Cada paróquia ou movimento poderá organizar a sua caminhada jubilar, aproveitando o esquema seguido numa pagela distribuída para o efeito.

“O Jubileu da Misericórdia é uma ocasião própria para promover no mundo formas de respeito pela vida e pela dignidade de cada pessoa”. (Papa Francisco, em 5/3/2016)

“Deus nunca nos renega. Nós somos o seu povo. O mais malvado dos homens, a mais malvada das mulheres e o mais malvado dos povos são seus filhos”. (Id.)

“Quando alguém está doente, vai ao médico; quando alguém se sente pecador, vai junto do Senhor. Mas se vai ao curandeiro, não se cura”. (Id.)

No próximo sábado, dia 18 de junho, às 10h30, a Paróquia de Válega celebra, na Igreja Matriz de Ovar, o seu Jubileu.

Jornal ovarense JOÃO SEMANA - Edição de 15 de junho de 2016



O que é que tem de fazer para ser assinante deste periódico ovarense? (Versão em papel, a preto e branco, ou em PDF, a cores). Só tem de enviar o seu nome e morada para o nosso mail: jornaljoaosemana@sapo.pt
PREÇO DA ASSINATURA ANUAL
(Impressão a preto e branco)

NORMAL: 10 euros - ESPECIAL (estrangeiro): 22 euros
VERSÃO PDF/COR: 15 euros
LEIA e ASSINE o jornal mais ANTIGO de Ovar (102 anos). Foi fundado em 1914, antes de a I Guerra Mundial ter rebentado. Para além de informar, o "João Semana" ajuda a escrever a história de Ovar.

Clique AQUI 
para ver as capas do jornal JOÃO SEMANA

04/06/16

LEIA os artigos do jornal ovarense JOÃO SEMANA

Pormenor de um postal antigo sobre a aparição
de N.ª Sr.ª de Fátima aos pastorinhos
"Onomástica 
Fatimita em Ovar"
Texto: Padre Manuel Pires Bastos

"(...) Apesar da introdução de uma gama muito variada de nomes profanos na Onomástica Portuguesa, a partir da implantação da República, era ainda vulgar a atribuição de nomes cristãos, incluindo os que designavam atributos da Virgem Maria. Daí, que os primeiros “crentes” no “milagre de Fátima” logo desejassem à imitação dos devotos de N.ª Sr.ª de Lourdes, apropriar-se da designação topográfica (lugar da aparição) e passá-la para o nome dos recém-nascidos (antroponímia).
Só em 1922, porém, é que o nome “Fátima” entrou na Onomástica Vareira, através de uma criança do sexo feminino, Fátima Pais Guedes, nascida em 24 de Janeiro no lugar da Regedoura, freguesia de Válega, filha de Alfredo Alves Guedes e de Rosa Augusta Pais, e casada, em 08/04/1944, com José Fernando Bento de Lemos. (...)"

Clique AQUI para ler o texto na íntegra

03/06/16

"Mãos Solidárias"


Com a primavera, teve início uma nova época de trabalho nas hortas comunitárias da Paróquia, algumas das quais de apoio ao projeto “Mãos Solidárias”.
Continuam abertas, de 2.ª a 6.ª feira, as portas deste projeto que desde 14 de setembro de 2009 (há 7 anos) acolhe, ao meio dia, pessoas carentes da nossa comunidade, a quem proporciona refeições gratuitas, bem como roupas e outros apoios sociais.
Lamentamos a morte inesperada de um dos mais antigos utentes, António Belmiro Valente de Almeida, de 58 anos, vítima de incêndio na casa onde residia em S. João de Ovar.
Está em curso a reestruturação do serviço de banhos e de lavagens de roupa, o que vai requerer despesas elevadas. Esperamos que surjam novos associados que ajudem a concretizar esta necessidade. 
E desde há muito tempo que se aguardam materiais para que seja criado um espaço para recolha e restauro de algum mobiliário para pessoas que dele necessitam.


Jovens vareiros “Pelos caminhos de Madre Rita”

Cerca de cem adolescentes e jovens da Paróquia de Ovar (do 6.º ao 11.º anos da Catequese) participaram, no passado sábado, 28 de maio, em Ribafeita, Viseu, numa caminhada de reflexão – “Pelos caminhos de Madre Rita” –, jornada esta que serviu de encerramento das atividades catequéti­cas e de preparação próxima para a Profissão de Fé e para o Crisma, que muitos de­les farão em breve.

Um mo­mento de reflexão na caminhada dos jovens de Ovar em Ribafei­ta, Viseu

01/06/16

Jornal ovarense JOÃO SEMANA - 1 de JUNHO de 2016


Clique AQUI 
para ver as capas do jornal JOÃO SEMANA

Festa em honra de Santo António - 13 de junho



De 1 a 13 junho decorre na sua Capela, na Praça das República, a trezena de Santo António (terço às 18h30, seguido de Missa), que culmina, no dia 13, às 9h00 com missa seguida da bênção e distribuição do pão de Santo António, e às 19h00 missa solene com sermão.

31/05/16

Fecho do mês de Maria

Como tem acontecido nos anos anteriores, a Capela de Nossa Senhora da Graça e a Santa Casa da Misericórdia fecharam festivamente o mês de Maria.

Fecho do mês de Maria na Misericórdia de Ovar

29/05/16

Pueri Cantores S. Cristóvão de Ovar em concerto de Primavera

Foi um regalo assistir, na tarde primaveril de 22 de maio, ao concerto que o grupo juvenil Pueri Cantores S. Cristóvão de Ovar proporcionou a quantos quiseram deslocar-se à Igreja Matriz.
Sob a orientação da maestrina Esmeralda Amaral, os cerca de 40 coralistas deram vida a 17 peças musicais de conteúdo espiritual, representativas de várias épocas, a mais antiga das quais, do século XV, dedicada à Santíssima Trindade, cuja festa litúrgica ocorreu nesse dia. Mas outros autores clássicos Tomás Luis de Victoria (séc. XV-XVI) a Robert Prizeman (“Voca me” – “Chama-me”, preencheram o rico e variado programa, que teve, em diversos números, o acompanhamento de órgão, flautas e violoncelo.

Concerto de Primavera pelos Pueri Cantores S. Cristóvão de Ovar
Foto: M. Pires Bastos
Para memória futura, aqui ficam os números, alguns dos quais podem ser ouvidos na internet: “Jesus Christ you are my life”, Marco Frisina; “Hymne à la nuit”, J.P. Rameau; “Dextera Domini”, Joaquim Casimiro; “Ave verum”, Edward Elgar; “Kyrie”, Leo Delibes; “Benedictus-Sanctus”, Robert Prizeman; “Alta Trinita Beata”, anónimo; “Church march”, Olle Jansson; “Voca me”, Robert Prizeman; “Avé Maria”, Tomás Luis de Victoria; “Pie Jesu”, Gabriel Faurée; “Siyahamba”, trad. Sydafrika e arranjo de Anders Nyberg; “Hush somebod’s callyn’ my name”, arranjo de Brazeal W. Dennari; “Witiness”, arranjo de Jack Halloran; “When you believe”, Stephen Schwartz; “Glória”, Jocelyn K. Belamide e M. Thérèse Henderson; “Davanti a questo amore”, A. de Luca, F. Marranzino e B. Conte.

Pueri Cantores S. Cristóvão de Ovar
Foto: Fernando Pinto

28/05/16

Jubileu de São João de Ovar e S. Vicente de Pereira


Na tarde do passado sábado, dia 28 de maio, as paróquias de S. João de Ovar e de S. Vicente de Pereira celebraram o seu dia jubilar na Igreja Matriz de S. Cristóvão de Ovar, que ficou repleta de participantes. Presidiu o respetivo pároco, Padre Vítor Pacheco, que encerrou as cerimónias com a celebração da Eucaristia.

Padre Vítor Pacheco, Pároco de S. João de Ovar e S. Vicente de Pereira


Fotos: MPB

26/05/16

Solenidade do Corpo de Deus

Tal como as ce­lebrações dos Ter­ceiros e dos Passos, a solenidade do Corpo de Deus tem na nossa cidade, uma tradição mul­tissecular, só que sem a regularidade e o esplendor de outrora.
Uma vez mais, e como aconteceu nos últimos anos, o setor paroquial da Catequese fez questão de pedir às crianças que mar­cassem presença na Missa festiva da última quinta-feira, 26 de maio – Festa do Corpo de Deus – dia que voltou a ser feriado nacional – e na procissão que se lhe seguiria, manifestando, em plena rua, o seu respei­to pelo sacramento da Eucaristia, que muitas delas receberam, recentemente e que, como garantiu Cristo, será força para as suas fragilidades.

Procissão do Corpo de Deus
FOTO: Fernando Pinto
E as crianças vieram, acompanhando jovens e adultos que, rezando e cantando, espalharam pelas ruas centrais de Ovar o perfume do incenso e das flores com que, como S. Francisco de Assis, quiseram reve­renciar o seu Deus, agradecendo-lhe o dom da vida e da sua fé.

25/05/16

Encontro Nacional da JUFRA



Teve lugar em 21 e 2 de maio, em Penafiel, o Encontro Nacional da Juventude Franciscana de Portugal. Foi um fim de semana intenso de reflexão, convívio e atividades, terminando com saudações em cidade.


23/05/16

Viagem da Paróquia de Ovar à Índia


ENCANTOS DA ÍNDIA
De 16 a 25 de agosto de 2016

A Paróquia de Ovar, em colaboração com a agência Club Tour, promove uma viagem à Índia dos Marajás, com os seguintes pontos de especial referência: Deli, Taj Mahal (dia 17), Agra, Fathepur Sikri, Jaipur (dia 18 a 20), Mumbai (Bombaim, dia 21), Goa (dias 22 e 23), Parque Nacional de Sanjay Gandhi com as Cavernas de Kanheri (dia 24).
Informações e inscrições na Secretaria Paroquial (telef. 256574173)

20/05/16

Imagem Peregrina em Ovar



Clique em PLAY para ver o vídeo



Imagem Peregrina
Palavras do Bispo do Porto em Ovar
D. António frisou que ‘desde há 2000 anos e há quase 100 anos, com as aparições, revela-se a mise­ricórdia de Jesus pela humanidade e a força atrativa por todos e por cada pessoa. “Podemos dizer que esta realidade é mais do que uma mera devoção: quantas palavras e sen­timentos temos em Maria que são inexplicáveis!”, continuou. Maria é Mãe de misericórdia, neste mun­do em que se quer construir amor e paz. D. António concluiu assim a homilia: “Vimos aqui não tanto para falar a N.ª Sr.ª, mas deixar que ela nos fale, nos acalente, nos abra­ce, nos acolha as lágrimas (…) e dê sentido às nossas vidas”.
Antes da bênção final e entre vários agradecimentos, o bispo do Porto também agradeceu à comu­nicação social, que “leva longe e ao largo a informação”. Pediu, ain­da, a N.ª Senhora que “abençoe os emigrantes desta terra que, mesmo fora, não deixam de estar ligados a Ovar”, e, dirigindo-se às crian­ças presentes, lembrou-lhes os três pastorinhos de Fátima, que devem imitar no seu amor a Nossa Senho­ra.” (Jornal “Voz Portucalense”, 13/04/2016)

15/05/16

Jornal JOÃO SEMANA - 15 de MAIO de 2016


Veja AQUI
as capas do jornal "JOÃO SEMANA"

Quer assinar a versão em PDF, a cores?
Envie-nos o seu nome e endereço para o e-mail:
jornaljoaosemana@sapo.pt

Obrigado!

14/05/16

2016 – Ano dos jornais centenários portugueses

Recebemos da Associação Portuguesa da Imprensa (API), com data de 16 de fevereiro último, a informação de que o ano de 2016 será dedicado aos jornais centenários portugueses, entre os quais se conta o “João Semana”.


Afirma a API: “É nosso objetivo exaltar a importância das publica­ções periódicas que com uma resiliência admirável têm vindo a cumprir um dos mais fulcrais ser­viços de interesse público e homenagear as mesmas como é devido”.
Com este objetivo es­tão a ser preparados even­tos de âmbito nacional, a serem recolhidos apoios para a formalização da candidatura a Património Cultural Português e Europeu e a ser feito “o levantamento de todos os periódicos nacionais que contam com pelo menos 100 anos de publicação ininterrupta, de forma a poderem ser con­tactados e incluídos.


O jornal “João Semana”, fundado em 1914, sente-se orgulhoso pelos seus 102 anos ininterruptos.

13/05/16

Procissão de Velas em Ovar

Procissão de Velas em Ovar

Procissão das Velas - Foto: MPB
A luz das velas iluminou, na noite de 12 de maio, as ruas de Ovar, em sintonia com a vigília de oração que decorria, à mesma hora, no Santuário de Fátima.
Foi uma noite muito agradável, com grande participação de pessoas que partiram em três grupos das capelas de S. Miguel, Santa Catarina e Senhora da Saúde (Lamarão), a caminho da Capela de Santo António (Praça da Re­pública), onde se juntaram ao grupo, partindo com a imagem da Senhora de Fátima para a Igreja Matriz, onde teve lugar uma condigna celebração final, em que o Pároco chamou a atenção para a imagem do Imaculado Coração de Maria da nossa Igreja, a primeira deste título esculturada em Portugal (sobre este assunto ver “João Semana” de 15 de maio de 2016).




Fotos: FMOP e MPB

Clique AQUI para ler o texto "Fátima em Ovar"

Fátima em Ovar – A primeira Imagem do Imaculado Coração de Maria



“A imagem do Coração Imaculado de Maria, não consegui que se fizesse senão após a minha vinda para o Carmelo. (...) foi posta à veneração pública na nossa Igreja sob a presidência de Sua Ex.cia Rev.ma o Sr. Arcebispo Bispo Conde de Coimbra no dia 25 de março de 1949”.
(Lúcia, em carta de 25/03/1949)


A um ano das comemorações do Centenário das Aparições de Fátima (1917-2017), Ovar orgulha-se por possuir na sua Igreja Matriz, desde 22/07/1946, a primeira imagem do Imaculado Coração de Maria revelado aos pastorinhos na Cova da Iria.


Clique AQUI para ler o texto

01/05/16

XX Peregrinação Nacional de Acólitos em Fátima


As paróquias de Ovar, São João e S. Vicente de Pereira participaram, em 30 de abril, na 20.ª Peregrinação Nacional de Acólitos em Fátima, juntamente com milhares de outras paróquias do concelho e do país.


16/04/16

Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima em Ovar

No dia 10 de abril, entrou na Diocese do Porto, pela paróquia de S. Pedro de Ovar (Furadouro), a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, trazida pelo bispo de Aveiro, Dom António Monteiro Montes, e acolhida no lugar do Torrão do Lameiro, pelas 18h00, pelo nosso bispo, Dom António Francisco dos Santos.
Apesar de o tempo ameaçar chuva e frio, a sua chegada à magnífica Igreja Matriz de S. Cristóvão de Ovar era aguardada por mais de um milhar de peregrinos, vindos das 14 paróquias que constituem a Vigararia Espinho-Ovar. (Lembramos que as igrejas matrizes de Ovar e de Espinho foram escolhidas como igrejas jubilares para nelas se celebrar de modo especial, até ao dia 20 de novembro de 2016, o Ano Jubilar da Misericórdia).
À chegada à Igreja de S. Cristóvão, a Imagem Peregrina foi recebida ao som dos sinos da torre e dos clarins dos Bombeiros Voluntários de Ovar, estando presentes as autoridades autárquicas, os comandantes da GNR e da PSP, o clero da Vigararia (sacerdotes e diáconos) e muito povo, enternecido e comovido com este tão jubiloso acontecimento.

Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima na Igreja Matriz de Ovar
Foto: Fernando Pinto

Seguiu-se a Eucaristia. Escusado será dizer que a Igreja – uma das maiores da Diocese – estava repleta, com muita gente em pé e muitos no exterior.
Como lembrava o nosso bispo por palavras que só ele sabe exprimir – porque lhe conhecemos bem a ternura que dedicou e dedica à mãe que teve na terra e à Mãe de todos nós, Nossa Senhora… –, “sem retirar nada à adoração que devemos ao Seu Divino Filho, Ela reúne e concita à Sua volta, sempre (!…) este povo que somos, confiante no Amor misericordioso de Deus prodigalizado pelo Seu Filho Jesus Cristo“.

Na chegada à Igreja Jubilar

Junto à Matriz, o Bispo do Porto, D. António é cumprimentado pelas entidades locais,
sob o olhar dos ovarenses


Os clarins da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Ovar
anunciam a chegada da Imagem Peregrina



Saudação litúrgica à Imagem Peregrina

Os fiéis aproximam-se de Maria


Nas mãos do Bispo, dos sacerdotes e do povo, as velas acesas iluminaram a Vigília
de Oração que substituiu a procissão prevista para sair à rua


A Imagem Peregrina (de 1947) que se deve ao
escultor José Ferreira Thedim
Foram mesmo momentos de excecional ternura, de fé expressa, de esperança viva e reforçada, num contexto difícil como é este em que vivemos.
Porque o tempo não permitiu que saísse a procissão de velas, teve lugar no interior da Igreja, uma vigília de oração, a que se seguiram, pela noite dentro, turnos de presença orante a cargo das paróquias do centro-sul da Vigararia, uma vez que, para as que estão mais a Norte, haverá um momento de maior proximidade quando a Imagem der entrada na Igreja matriz de Espinho.
No dia 11, segunda-feira, pelas 7h45, celebrou-se a Eucaristia, seguida da recitação do Rosário. Pelas 9h30, a Imagem partiu para ser entregue, em S. Martinho da Gândara, à Vigararia de Oliveira de Azeméis.
Certamente que Nossa Senhora não deixará de abençoar a Diocese do Porto e de recomendar ao Seu Divino Filho as necessidades de todos nós. Este é um momento excecional de Graça e uma sementeira de Amor que dará frutos a seu tempo.
Salvé ó Virgem Maria, Nossa Senhora de Fátima!

Diácono António Poças


Para esculpir a Imagem Peregrina (1947), Thedim teve de deixar incompleta a imagem do Imaculado Coração de Maria (ao fundo, na foto), que veio para Ovar em 12 de junho de 1946 com assinatura da Casa França (M. P. B.)

(Clique no link para ler o texto "Ovar possui a primeira imagem do Imaculado Coração de Maria"
 http://artigosjornaljoaosemana.blogspot.pt/2014/05/ovar-possui-primeira-imagem-do.html)

Fotos: M. Pires Bastos e Fernando Pinto