18/10/17

Família Jesus Maria José prepara estatutos

Reuniu em Ovar, de 9 a 13 de ou­tubro, na Casa de N.ª Sr.ª de Fátima, o grupo redator da segunda versão do Diretório da Família Jesus Maria José, representando grupos de Portugal, do Brasil e de África, com o fim de pre­pararem os futuros estatutos daquela associação de fiéis, ligada ao Instituto do mesmo nome, que tem como finali­dade adotar e promover o ideal cristão da fundadora, Beata Rita Amada de Jesus, nascida em 1848 em Ribafeita, Viseu, e ali falecida em 1913, depois de ter mandado para o Brasil um bom número das suas religiosas, impedidas pelo regime republicano de Portugal, de prosseguirem a sua vocação de consagradas.  


"Mãos Divinas" – O novo ex-líbris de Ovar

Clique na foto para aumentar
Pelo adro da Igreja Ma­triz de Ovar têm passado ultimamente muitos turistas estrangeiros. Vêm apreciar o conjunto escultórico "Mãos Divinas", o novo ex-líbris da cidade, obra do artista vareiro Marcos Muge.

"Perante as palavras escritas na missiva que recebi do Vaticano, sobre as "Mãos Divinas", que são do mundo e da nossa pátria, presto honra e gratidão ao Santo Padre Papa Francis­co", disse Marcos Muge ao jornal "João Semana", no adro da Igreja Matriz de Ovar, junto ao conjunto escultórico (na foto).
O artista vareiro, após ter uma visão há quatro anos, em 19 de janeiro, no dia em que os centenários cedros do cemitério tombaram devido à forte ventania que varreu Ovar e o país, começou a trabalhar na primeira escultura ("Mãos de Deus"), em 21 de agosto de 2013, e a obra foi concluída em outubro desse ano; a segunda escultura ("A Luz do Mundo") começou a ganhar forma em finais de agosto de 2015, e ficou acabada em novembro do mesmo ano; a terceira es­cultura ("A Mão de Jesus"), idealizada em meados de setembro de 2016, foi concluída no início de 2017; e a quarta ("Ressureição e Ascensão de Jesus", na foto) foi esculpida de janeiro a abril deste ano.

Marcos Muge, artista ovarense, junto ao seu conjunto escultórico "Mãos Divinas"

"Já vieram pessoas de Itália, de Milão, ver esta minha obra, que, não me canso de dizer, já não é minha mas do Município de Ovar", referiu Marcos Muge [na foto], acrescentando: "Há um novo ex-líbris em Ovar, estas Mãos Divinas. É uma referência dos vareiros no mundo, porque já passou as fronteiras."
O artista espera que a autarquia cumpra com a promessa que fez de concluir os trabalhos que faltam.

14/10/17

Jornal JOÃO SEMANA - 15 de outubro de 2017


NA CAPA:
- Escultura de São Cristóvão já está pronta
- Um canal de Ovar ao Porto
- Luís Ferreira de Matos no "À Palavra"
- A dupla face da vingança, na visão de Júlio Dinis
- Daniel Pinheiro e Inês Monteiro vencem 29.ª Meia Maratona
- "Mãos Divinas"  O novo ex-líbris de Ovar
NO INTERIOR:
- Hospital de Ovar pioneiro em projeto do SNS
- Educação em Ovar: Presente e Futuro
- Vespas asiáticas em São João de Ovar
- Catequistas em Santiago de Compostela
- "Palavras com Sentido" n.º 35
- Ser acolhido pelas entranhas
- Semedo – Técnica e classe
(entre outras notícias e artigos)

CLIQUE na capa para aumentar

LEIA e ASSINE o jornal centenário JOÃO SEMANA
(fundado em 1914)

Se quiser ser assinante (jornal em papel ou em PDF, a cores)
envie-nos o seu nome e morada para o nosso e-mail 
jornaljoaosemana@sapo.pt

13/10/17

Procissão de Velas - 12 de outubro


Na noite do dia 12 de outubro saiu à rua, com numerosa participação de fiéis, a Procissão de Velas que foi adiada pelo facto de os dias 12 e 13 de maio coincidirem com o Centenário da primeira aparição de Fátima e a Visita do Papa Francisco a Portugal.


A concentração teve lugar na capela de Santo António, às 21 horas, de onde, ao fim da recitação do Terço, partiu a procissão para a Igreja Matriz, onde foi feita pelo Pároco, padre Manuel Pires Bastos, a evocação da Virgem Maria no centenário da última das suas aparições em Fátima.




02/10/17

Outubro – Maria, Missões, Catequese

Tela de Lúcia Neto, na exposição dedicada à Nossa
Senhora, no Museu da Ordem Franciscana



Até meados do século passado, o mês de outubro era o Mês do Rosário. Nas igrejas, nas capelas e até nos lares devotos rezava-se o terço, a oração simples do povo crente. A partir de então, incrementou-se entre nós, a exaltação da vida missionária, com a criação, no último domingo, do Dia das Missões, cujo objetivo depressa passou a envolver todo esse mês, chamando a atenção para a corresponsabilidade de todo o cristão no apoio espiritual e material aos missionários, particularmente em territórios administrados por Portugal.

Nos anos 60, com o sangue novo do Concílio Vaticano II e a reestruturação da Catequese elementar, o mês de outubro viu-se de tal modo envolvido por esta atividade, que o passámos a considerar também o mês da Catequese, e, por arrasto, por ser o início do ano litúrgico, o mês de todos os movimentos de apostolado, que, por natureza, estão vocacionados  para a difusão da Palavra de Deus

Vida Paroquial

Procissão de Velas
Terá lugar na noite de quinta-feira, dia 12 de outubro, a Procissão de Velas que foi adiada pelo facto de os dias 12 e 13 de maio coincidirem com o Centenário das Aparições de Fátima e a Visita do Papa Francisco a Portugal.
Convidam-se os fiéis de todos os lugares a concentrar-se na capela de Santo António, às 21 horas, donde, ao fim da recitação do Terço, partirá a procissão para a Igreja Matriz, onde será feita a evocação da Virgem Maria no centenário da última das suas aparições em Fátima.

Grupos Bíblicos
Terça-feira, 3 de outubro, às 21 horas, no Salão Paroquial de Ovar, estará connosco a Irmã Mariana, da Sociedade de S. Paulo, do Porto para início do novo ano de formação bíblica, dedicado ao estudo das Parábolas de Jesus chamadas – as parábolas do Reino que constituem um excelente meio de se iniciar o conhecimento da Bíblia.

Ministérios laicais
No feriado, 5 de outubro (5.ª feira), das 10 às 12 horas, os acólitos terão um encontro de formação na Casa dos Passionistas de Santa Maria da Feira.
No dia 10 (3.ª feira) às 21h30, no Salão Paroquial de São João da Madeira, haverá o encontro trimestral dos Ministros Extraordinários da Comunhão.

01/10/17

Dia de São Francisco

São Francisco de Assis (séc. XVII), 
coeva da fundação da Ordem Terceira de Ovar



Em 4 de outubro, dia de São Francisco, será solenizado pela Fraternidade Franciscana de Ovar, com missa Solene, às 19 horas, na Igreja Matriz, acompanhada a cânticos pelos jovens da Fraternidade Franciscana (JUFRA).

Na Casa-Museu de Arte Sacra da Ordem Franciscana Secular de Ovar, e coincidindo com a celebração do Centenário das Aparições de Fátima, está patente ao público uma exposição com imagens de Maria pertencentes ao espólio do Museu.



«A Casa-Museu da Ordem Terceira de S. Francisco foi inaugurada há 40 anos, em 17 de fevereiro de 1973, pelo Bispo-Auxiliar do Porto D. Domingos de Pinho Brandão. O seu fun­dador, João Fernandes Arada e Costa, no livro História Religiosa de Ovar (Algumas achegas), lembra o velho adágio: “não é bom vareiro quem não é Terceiro”. Esta Instituição, criada em 1660, para além de albergar um valioso espólio, tem sido a principal dinamizadora das nossas Procissões Quaresmais.» 

LEIA mais AQUI 

Leia a reportagem sobre a família ALEGRE - Museu de Ovar, 16 SET. 2017

Engenheiro Manuel Alegre


Clique AQUI
para ler a reportagem do jornalista Fernando Pinto
(15 imagens)

Veja também o vídeo publicado
no sítio do jornal "João Semana"

Jornal JOÃO SEMANA - 1 de outubro de 2017 - Ovar


NA CAPA:
- Sinais de vareirismo pelo mundo
- Festival Literário de Ovar cumpriu o seu papel
- Outubro – Maria, Missões, Catequese
- CONTACTO apagou 34 velas

NO INTERIOR:
- Escultor José Rodrigues em Ovar
- Testemunho de uma escuteira
- História da A. D. Ovarense (por José Pinto)
- D. Manuel Martins – Um testemunho que fica
- Irmãs Jesus Maria José celebram Beata Rita
- Júlio Dinis (cont.) - por Fernanda Grieben
(entre outras notícias e artigos)

CLIQUE na capa para aumentar

LEIA e ASSINE o jornal centenário JOÃO SEMANA
(fundado em 1914)

Se quiser ser assinante (jornal em papel ou em PDF, a cores)
envie-nos o seu nome e morada para o nosso e-mail 
jornaljoaosemana@sapo.pt

30/09/17

Testemunho de uma caminheira

Os caminheiros do clã Paulo VI, do agrupamento de escuteiros 549 Ovar, em conjunto com os caminheiros de Esmoriz, Maceda e S. João de Ver, participaram, em agosto, no Acampamento Nacional, ACANAC, a maior atividade escutista alguma vez realizada em Portugal, com a participação de perto de 22 mil pessoas, tendo como tema “Abraça o Futuro”, com o objetivo de formar jovens mais consciencializados e responsáveis com o ambiente que nos rodeia, sob o ponto de vista social, económico, politico, religioso e Cívico. Para os Caminheiros (entre os 18 e 22 anos), este acampamento apontava para o serviço em comunidade (conhecer gentes, culturas e lugares).


Divididos por equipas com mais ou menos 50 elementos de todo o país, os elementos de Ovar caminharam até a Aldeia de Segura, onde onde tiveram três dias da atividade: além da interação com a população, ouvindo as suas histórias, músicas e costumes, pintámos a capela da aldeia como gesto de gratidão pela forma carinhosa como fomos acolhidos, e no fim destes três dias, organizámos uma pequena festa de despedida (fogo de conselho), partilhando com as gentes de Segura os nossos jogos, músicas e brincadeiras.
Nos últimos dias do ACANAC voltámos para o campo escutista, onde tivemos a opção de realizar workshops com os mais variados temas (desde danças tradicionais Portuguesas a um ateliê de anilhas). Também a espiritualidade esteve muito presente neste acampamento, pela construção da nova capela de campo, inspirada numa tenda, e pela presença da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que ficou presente em campo durante toda a atividade.
O próximo Acampamento Nacional realizar-se-á no ano do Centenário do CNE, Corpo Nacional de Escutas.         

Adriana Soares (Caminheira)

29/09/17

Maria na Casa Museu da Ordem Franciscana


Esteve patente ao público na Casa Museu da Ordem Terceira uma exposição de pinturas a óleo sobre tela, de artistas vareiros, dedicada a Nossa Senhora. Foi bom ver e saber que a alma da nossa gente é capaz de retratar, com tanta imaginação, amor e carinho, a Mãe de Jesus, que é também a nossa Mãe. A tela ao lado, tirada ao acaso da exposição, é de Maria Otília Fernandes, mas todas as outras são de igual qualidade e beleza. Bem hajam todos os participantes.

Rosa de Assunção

Irmãs Jesus Maria José celebram Beata Rita

Em 24 de setembro, dia da Beata Rita Amada de Jesus, as Irmãs do Instituto Jesus Maria José celebraram festivamente a memória da sua fundadora em Ribafeita, Viseu, onde, junto à casa onde nasceu, foi edificado um pequeno santuário a ela dedicado. Esta data também foi lembrada em Ovar, onde o Instituto tem a sua sede nacional desde 1951. Atualmente tem comunidades em Viseu, Coimbra, Dominguizo e Cabo Verde, e com delegações em Angola, Moçambique, México, Bolívia, Peru e Paraguai. A sede geral do Instituto é em São Paulo, Brasil, país para onde se deslocaram em 1913 e onde contam com diversas escolas, uma delas de Estudos Superiores.

Escultor Luís Ferreira de Matos recria São Cristóvão

Está a ser fundida em bronze a imagem de São Cristóvão, esculpida por Luís Ferreira de Matos, para a frontaria da Igreja Matriz de Ovar. A antiga escultura, em pedra ançã, ficará exposta no interior da Igreja, como aconselham os entendidos em Arte, para que seja preservada da destruição.

SÃO CRISTÓVÃO
Escultura de Luís de Matos

Foto: Manuel Pires Bastos
LUÍS DE MATOS
Foto: M. Pires Bastos
Por feliz coincidência, o escultor Luís Ferreira de Matos, natural de Arada e com obra de reconhecido mérito internacio­nal, quis presentear a Paróquia de Ovar com uma nova e bela imagem do seu padroeiro (ainda em gesso, na foto), adequando-a à dimensão do nicho da atual igreja. Não esqueçamos que a antiga imagem, do século XV, deverá ter sido dimensionada para nichos mais pequenos, condizentes com as dimensões da igreja da então, chamada Paróquia de São Cristóvão de Cabanões, com sede primeiro na capela de S. João e depois no largo que fica à sua ilharga, do outro lado da estrada.

A Paróquia de Ovar conta com boas vontades para a rápida execução da imagem.

A antiga imagem de S. Cristóvão desde os al­vores da nossa nacionalidade acompanhou a vida cristã da Paróquia de Ovar, que o escolheu como padroeiro, primeiro com o nome de S. Cristóvão de Cabanões(1) e, depois, quando da sua mudança para a atual localização, como S. Cristóvão de Cabanões da vila de Ovar e, finalmente, S. Cristóvão de Ovar(2).
Porque essa preciosa imagem quinhentista de S. Cristóvão [foto, em baixo] apresentava graves problemas de conservação, devido à sua prolongada exposição às inclemências do tempo, e em ordem a salvaguardar a sua integridade, foi ela sujeita a um cuidadoso trabalho de limpeza e de fixação por parte de pessoa perita na matéria, aguardando o momento de ocupar um lugar de honra no interior da sua casa. M. P. B. 

Notas:
(1) Cabanões e Muradões são referidas num documento de 1026, ligado a um ato de pirataria praticado por normandos. (Clique AQUI para ler este texto)
(2) São de 1588 os assentos paroquiais que registam este título.


SÃO CRISTÓVÃO
Escultura em pedra ançã
Igreja Matriz de Ovar
(séc. XV-XVI)

Foto: Fernando Pinto

O PADROEIRO DE OVAR

Desde há oito séculos, pelo menos, que S. Cristóvão é o Padroeiro de Ovar. 
À sua vida real, desconhecida, sobrepõem-se duas versões lendárias. 
Uma, de origem grega, apresenta-o como um bárbaro, convertido ao cristianismo. Alistado no exército imperial de Roma, quiseram os seus superiores que renegasse a fé. Recusando-se a tal, foi supliciado e morto.

Segundo a versão lendária ocidental, Cristóvão era um gigante, com a mania das grandezas. Colocando-se ao serviço de um rei que lhe afiançaram ser o mais poderoso do mundo, jurou que jamais aceitaria servir outro. Porém, desfeiteado e ferido no seu orgulho ao saber que Satanás era muito mais poderoso do que o rei que ele servia, logo se colocou ao seu serviço. 
Finalmente, ouvindo dizer, por um monge eremita, que Cristo era muito mais poderoso, pediu-lhe que o preparasse a fim de O conhecer melhor e de O servir. Foi aí que o ermitão o convenceu de que Deus apreciava os homens não pela força muscular, intelectual ou outra, mas pela bondade que mostravam para com o próximo. 
Cristóvão, não obstante a arrogância e o orgulho a que se tinha habituado, acabou por entender a mensagem. A partir de então, dedicou a sua vida ao serviço do próximo, atravessando pessoas entre as duas margens de um rio. 
Aconteceu que, numa noite escura e tempestuosa, um menino lhe pediu que o transportasse. O gigante pegou nele com facilidade, repetindo, pela milésima vez, aquele gesto benfazejo. Só que, a meio da travessia, algo de muito estranho passou a tolher-lhe as forças, vergando-lhe as pernas. Não era a força da correnteza nem nenhuma doença súbita a roubar-lhe as forças. Era o menino que pesava cada vez mais!... 
A custo, intrigado e quase exausto, prestes a dar parte de fraco, lá conseguiu chegar à margem. Já a salvo, desabafou:  «O mundo não é mais pesado do que tu, meu rapaz! Nunca vi coisa assim. Afinal, quem és tu?». 
– «Tiveste às costas mais do que o mundo inteiro» – respondeu o menino. «Transportaste o Criador dele. Sou Jesus a quem tu serves». 

Segundo esta lenda, Cristóvão, que já servia os outros com dedicação e amor, passou a entregar-se ainda mais à sua tarefa, pois percebeu que ao carregar os outros às costas era como se transportasse o próprio Cristo. 
Serviu até dar a vida, sofrendo o martírio, em data incerta do séc. III. 
Bem se lhe podem aplicar as palavras de Lacordaire, por certo também inspiradas no significado etimológico do nome deste santo: 
– «Cristão é todo o homem a quem Cristo confiou os outros homens». 

S. Cristóvão e a devoção popular 

É o patrono dos viajantes motorizados e das crianças nos seus triciclos. É comemorado, segundo o martirológio, em 25 de Julho. A imagem enorme deste “porta-Cristo” encontra-se na parede de muitas igrejas do Ocidente. A devoção popular achava que quem olhasse S. Cristóvão (na sua imagem) estava resguardado de qualquer desgraça para esse dia. Por isso era representado com enormes dimensões, a fim de poder ser visto à distância. 


28/09/17

Passo-a-rezar


Clique AQUI para ouvir 

O Passo-a-Rezar, sítio criado e desenvolvido pelo Apostolado da Oração - Rede Mundial de Oração do Papa, oferece, há 7 anos, orações diárias na Internet, baseadas no conceito “Não pares para rezar”.

15/09/17

Jornal JOÃO SEMANA - 15 SET. 2017 - Ovar


NA CAPA:
- Diocese peregrina em Fátima
- Morreu o Bispo D. António, exemplo de fé e humanismo
- Escultor Luís de Matos expõe no Museu de Ovar
- O novo Jardim Almeida Garrett

NO INTERIOR:
- Hospital com nova direção
- Festas do Mar no Furadouro
- Comandante Carlos Borges homenageado pelos Bombeiros
- 3.º Festival Literário de Ovar
- 29.ª Meia Maratona Cidade Ovar
- Centenário do nascimento de José Compadre
- "O Cancioneiro de Ovar" – Guilhovai
- “Palavras com Sentido” [n.º 34]
- Domingos Teles – A trave mestra
- Morreu Valdemar Resende
- Os Alegres – De Ovar a Roma
- Na rota das palavras
- Júlio Dinis, o grande defensor do carvalho da floresta portuguesa

Viagem ao Vietname


País exótico em clima de paz

O Vietname de hoje, cordato e unido, pouco tem a ver com aquele que há dezenas de anos foi motivo de preocupação para o mundo, devido à luta ali travada pelas duas grandes potências mundiais: a Rússia (a norte) e os Estados Unidos (a sul). Com a sequente saída dos EUA e o entendimento patriótico dos vietnamitas, hoje o país vive unido, numa democracia de um só partido (o comunista), com cerca de 80 milhões de habitantes, acantonados à volta de Hanói (a capital, a  norte, com 6 milhões de habitantes) e a antiga Saigão (hoje Ho Chi Minh, com 8 milhões, o principal núcleo comercial e industrial do país), tendo ao centro uma região histórica (Hué, Danang), onde se adivinham as suas raízes culturais.
Para ali chegar, houve que voar 4h30 até Istambul, na Turquia, onde se tocam a Europa e a Ásia (estreito do Bósforo), e mais 9 horas até Hanói, onde chegámos à noite (mais 6 horas do que em Portugal).

Hanói, a Paris do Leste

Hanói, a Paris do Leste, conserva um ar parisiense, e a sua catedral reflete o que permaneceu do cristianismo da era colonial francesa, marcado, desde o século XVII, pelo sangue de muitos mártires (...)"


Veja AQUI
a reportagem

Flor de Lótus

14/09/17

LEIA os artigos do jornal ovarense "JOÃO SEMANA"


Clique AQUI
para consultar a lista dos artigos 
partilhados no sítio do nosso jornal



"Sobre a origem do topónimo Ovar, o P.e Miguel de Oliveira, em “Ovar na Idade Média”, houve por bem fazer uma pertinente recensão de cinco explicações, vulgarizadas em corografias, enciclopédias, etc., que ele tachou de falsas. Permito­-me recordá-las, em síntese (...)"

Clique neste link para ler o artigo de M. Antonino Fernandes

OVAR – Origem etimológica


11/09/17

Morreu D. António Francisco dos Santos, Bispo do Porto

D. António Francisco dos Santos
(1948-2017)

O nosso Bispo, D. António Francisco dos Santos, deixou-nos, dois dias depois de um encontro festivo de toda a Diocese no Santuário de Fátima, onde a sua figura se zeloso de Pastor se agigantou, deixando bem cincada a marca do seu saber, do seu dinamismo e da sua espiritualidade, características que ficarão a assinalar, no Porto, a sua breve passagem por esta Diocese.
Ninguém esperava tal desfecho: aos 69 anos de idade, motivado por fulminante colapso cardíaco pelas 9h00 da manhã de 11 de setembro.

D. António Francisco, nascido a 29 de agosto de 1948, na freguesia de Tendais, concelho de Cinfães (Viseu), tinha um carinho por Ovar em cuja Matriz celebrou diversas vezes algumas delas ainda antes de ser Bispo.
Ordenado Bispo Auxiliar de Braga (2005) e Bispo de Aveiro (2006), veio para a Diocese do Porto em 2014.
A Paróquia de Ovar não o esquecerá diante de Deus e dos homens.

Leia AQUI
o texto da Diocese do Porto

10/09/17

Peregrinação Diocesana do Porto a Fátima


Constituiu uma jornada magnífica a Peregrinação Diocesana do Porto a Fátima no dia 9 de setembro reunindo aos pés da Virgem representantes das 477 paróquias da Igreja portucalense, que se estende ao rio Ave, a norte, aos rios Antuã e Caima, a sul, tornando as suas ruas e estradas, no dizer no Bispo D. António Francisco (na foto), "braços de um grande rio a guiar-nos para este mar da fé".


A Diocese do Porto, com o seu Bispo, na Peregrinação Diocesana,
no ano do Centenário das Aparições de Fátima


Fotos de Joaquim Fidalgo

Clique AQUI 
para ver mais

17/08/17

Peregrinação Diocesana a Fátima - 9 de setembro de 2017

A Diocese do Porto vai realizar em 9 de setembro uma Peregrinação a Fátima no âmbito do centenário das Aparições de Nossa Senhora.


A peregrinação significa um ges­to de gratidão pela visita da Imagem peregrina à diocese, e pretende colo­car no coração de Maria “os sonhos e projetos da Igreja do Porto”.
A chegada a Fátima deverá ser pelas 10h00, e o regresso pelas 17h00, com dois momentos celebrati­vos: missa no recinto (11h00); e terço na capelinha (16h00).

Inscrições na respetiva Paróquia.

Saiba mais no sítio da Diocese do Porto [clique no link]

Irmãs do Instituto Jesus Maria José em Capítulo Provincial – De 16 a 19 de agosto de 2017

A Missa das 11h00 do dia 13 de agosto, na Igreja Matriz de Ovar, foi presidida pelo Bispo de Mindelo, Cabo Verde, D. Ildo Fortes, de visita ao Instituto Jesus Maria José, que tem a sua sede geral em São Paulo, Brasil, e a sede provincial na nossa cidade, prestando serviço missionário em África.

O Pároco de Ovar, P.e Manuel Pires Bastos, apresentando D. Ildo Fortes,
Bispo de Mindelo, Cabo Verde

A Irmã Maria de Lurdes Filipe, reconduzida como Madre Provincial, com a Madre Geral
Leonir Tomazi, e outras irmãs do Instituto Jesus Maria José, na Igreja Matriz de Ovar  

Ofertório

Na manhã do dia 16 teve início em Viseu o XVI Capítulo Provincial, com o tema: "Instituto JMJ, saiamos depressa ao encontro com a vida".
A abertura oficial do Capítulo deu-se com a Eucaristia votiva do Espírito Santo, presidida por D. Ildo Fortes, e concelebrada pelo Cônego Arménio Ferreira - Diretor do Lar Escola Sto. António e Pe. José Vieira, assessor do Capítulo.



Em procissão com o Círio Pascal, a Imagem da Beata Rita Amada de Jesus e da Sagrada Família dirigiram-se à Sala Capitular, onde foi dado início aos trabalhos.
Estão presentes a Madre Geral do Instituto, Irmã Leonir Tomazi, a Conselheira Geral, Irmã Maria de Lurdes Afonso, e 22 Irmãs Capitulares, vindas das comunidades de Portugal e dos países onde as Irmãs da Província se encontram: Angola, Moçambique, Cabo Verde e México.

O grupo das participantes do Capítulo

Fotos de Joaquim Fidalgo e Instituto JMJ

15/08/17

LEIA e ASSINE o "JOÃO SEMANA" (jornal de Ovar)


Jornal "João Semana"
Edição de 15 de agosto de 2017

NA CAPA:
- 15 de agosto – Assunção de Nossa Senhora 
- Os Alegre – De Ovar a Roma
- Volta dos vencedores num dia pela vida
- A Casa dos Pobres de Ovar

NO INTERIOR:
- Escuteiros de Ovar no ACANAC 2017
- Lição de São Cristóvão continua presente
- "Correio do Tempo" – Rui Resende
- Realizador vareiro premiado em Avanca
- "Palavras com Sentido" [n.º 33]
(entre outros artigos e notícias)

Clique na capa para aumentar

LEIA e ASSINE o jornal centenário JOÃO SEMANA
(fundado em 1914)

Se quiser ser assinante (jornal em papel ou em PDF, a cores)
envie-nos o seu nome e morada para o nosso e-mail 
jornaljoaosemana@sapo.pt

13/08/17

Dar para receber...


“Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro.

Em seguida levaram alguns operários,
Mas não me importei com isso;
Eu também não era operário. (…)

Agora estão-me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém,
Ninguém se importa comigo."


Bertold Brecht (1898-1956)

"Mar e outros poemas", livro de Fernando M. Oliveira Pinto



CLIQUE EM PLAY PARA VER O VÍDEO

"MAR e outros poemas",
do jornalista ovarense Fernando Manuel Oliveira Pinto 
(Diretor-adjunto do jornal centenário "João Semana"),
pode ser adquirido na 
Biblioteca Municipal de Ovar e no Museu de Ovar

Também pode ver o vídeo
AQUI
(Clique no link)

12/08/17

Jovem vareira em missão – Angola 2017

No dia 9 julho de 2017 decorreu na Paróquia de S. António de Palhais (Barreiro), Setúbal, o 50.º aniver­sário da família Passionista, que tem a sua sede em Santa Maria da Feira.
D. José Ornelas, bispo de Setúbal, presidiu à eucaristia campal, acompanhado por diversos sacerdotes Passionistas, na Quinta do Porto da Ramagem (Coina), emprestada para a festa, em que participaram muitos leigos e amigos da família passionista de várias localidades do país.


Na celebração, embelezada pelo Coral Orfeónico São Gabriel e Life Teen, foram enviadas cinco jovens leigas para a Missão Passionista de Calumbo (Angola), uma das quais, Inês Poças Ferreira (na foto, a segunda da direita), da nossa paróquia, que aqui deixa na seguinte “Carta de Motivação”, as razões pelas quais decidiu partir em missão.

Carta de Motivação: "Não quero ser jovem de sofá!"

Inês Poças Ferreira
O que me motiva a ir:
Para ser honesta, penso que não é possível demonstrar por palavras nem o porquê nem o quanto desejo ir em missão, mas vou tentar expor aquilo que vai no meu íntimo.
Há alguns anos que sinto algo dentro de mim que me impele a ser mais, a não me contentar com o que existe, com o estado “natural” do mundo, e a lutar por aquilo que acredito ser melhor. Não é que não me considere uma pessoa feliz e em paz (porque vivo assim na maior parte dos meus dias), nem que tenha a ideia ilusória de que irei mudar o mundo de forma extremamente profunda; mas acredito que cada um de nós consegue fazer pequenas dife­renças no seu dia-a-dia que, no final, acabam por fazer a vida valer mais a pena, e que vão deixando um mundo com mais amor. E são estas ações, simples e quotidianas, que, com mais ou menos sucesso, tenho feito.
É isso que quero fazer em Angola: o que já procuro fazer todos os dias. É certo que será de forma diferente, mas a essência é a mesma: “ser”.
Recordo-me que o P.e Pires referiu numa formação que, depois de respondermos à pergunta “quem sou?”, devemos procurar perceber “para onde queremos ir”. Tenho pensado também neste segundo ponto, e de uma coisa estou certa: não quero ser “jovem de sofá”. Aliás, não consigo explicá-lo melhor do que através das palavras do Papa Francisco proferidas nas Jornadas Mundiais da Juventude:
“Jesus não é o Senhor do confor­to, da segurança e da comodidade. Para seguir Jesus, é preciso ter uma boa dose de coragem. É preciso decidires-te a trocar o sofá por um par de sapatos que te ajudem a cami­nhar por estradas nunca sonhadas e nem mesmo pensadas, (…) capazes de contagiar-te a alegria, aquela alegria que nasce do amor de Deus, a alegria que deixa no teu coração cada gesto, cada atitude de mise­ricórdia. Caminhar pelas estradas seguindo a “loucura” do nosso Deus, que nos ensina a encontrá-Lo no faminto, no sedento, no esfarra­pado, no doente, no amigo em maus lençóis, no preso, no refugiado e migrante, no vizinho que vive só. Caminhar pelas estradas do nosso Deus, que nos convida a ser atores políticos, pessoas que pensam, ani­madores sociais; que nos encoraja a pensar uma economia mais solidária que esta (…).
Este tempo aceita apenas joga­dores titulares em campo, não há lugar para reservas. (…) O Senhor, como no Pentecostes, quer realizar um dos maiores milagres que pode­mos experimentar: fazer com que as tuas mãos, as minhas mãos, as nossas mãos se transformem em si­nais de reconciliação, de comunhão, de criação. Ele quer as tuas mãos para continuar a construir o mundo de hoje. Quer construí-lo contigo”.
E não sei explicar porquê, ao certo, mas tudo isto me faz querer cada vez mais ir em missão. Tendo por base que confio no que sou, que procuro ser realista nas minhas ex­pectativas, mas que não me consigo resignar a ficar no sofá. É isto que sou e que pretendo ser em Angola.

Inês Poças Ferreira

11/08/17

Escuteiros de Ovar no ACANAC 2017

Em Idanha-a-Velha, o Corpo Nacional de Escutas (CNE) escreveu uma página de ouro da sua história quase centenária ao realizar, de 31 de julho a 6 de agosto, o seu maior Acampamento Nacional de sempre – o ACANAC 2017 –, com a participação de 21.500 escuteiros de todo o país (sendo 186 estrangeiros), entre os quais 27 do Agrupamento de Ovar (na foto), pertencentes às duas secções dos mais velhos, Pioneiros e Caminheiros, acompanhados pelos dirigentes Ricardo e Gilberto.


Esta atividade, a mais apetecida por todos os escutas, por ser considerada a mais importante na vida de um escuteiro, decorreu com naturalidade, no Almortão, Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco, um lugar privilegiados, junto a um santuário famoso, com um programa bem estruturado e adaptado aos diversos grupos etários, desenvolvendo o tema "Abraço o Futuro", com o objetivo de proteger o Planeta.


Para além das atividades de campo, marcaram este acampamento dois momentos especiais, a presença do Presidente da República e a grande Eucaristia do dia 5, na Arena do Futuro.

Fotos: Gilberto Murteira

09/08/17

15 de agosto – Assunção de Nossa Senhora

Imagem de N.ª Sr.ª da Assunção, da Capela
dos Campos, que tem como titulares as
Almas e N.ª Sr.ª do Bom Sucesso (ou Parto)
FOTO: Fernando Pinto
No concelho de Ovar, é em Válega que o dia 15 de agosto se reveste de maior esplendor religioso, dado que aquela Paróquia festeja nesta data a sua Padroeira, com o título de Nossa Se­nhora do Amparo.

Há alguns séculos, quando a Paróquia de Ovar se estendia até S. Jacinto, eram vários os templos dedicados à Virgem, com festejos anuais, em épocas diferentes, mas tradicional­mente no verão, acompa­nhados por feiras e arraiais populares.

Por todo o mundo cris­tão e através dos mais va­riados títulos, é invocado e exaltado neste mês de agosto o nome de Maria.
Ovar, concelho inseri­do nas Terras de Santa Ma­ria, ostenta a sua imagem no Brasão do Município.


A Missa das 11h00 do próximo domingo, dia 13, na Igreja Matriz, é presidida pelo Bispo de Mindelo, Cabo Verde, D. Ildo Fortes, de visita ao Instituto Jesus Maria José, que presta serviço missionário naquele arquipélago africano, e que está a realizar em Ovar o Capítulo para a escolha da nova Provincial.

02/08/17

25 de julho - Dia de São Cristóvão, Padroeiro de Ovar


Foram numerosos os paroquianos que no passado dia 25 de julho quiseram prestar a sua homenagem e a sua devoção ao Santo Mártir, São Cristóvão, protege terras vareiras, participando na Eucaristia Solene das 19 horas, presidida pelo Sr. Bispo Auxiliar do Porto, D. António Augusto de Azevedo, acompanhado pelo Pároco, P.e Bastos, por dois sacerdotes que fizeram em Ovar o seu estágio pastoral – O P.e José Silva, pároco na Maia, e que há 25 anos celebrou a sua Missa Nova na nossa Matriz, e o P.e Benjamim, que tem continuado a dar a Ovar a sua prestimosa colaboração pastoral – e ainda o jovem missionário P.e Gregório Valente, natural de São João de Ovar, e o Diácono António Poças, um dedicado e fiel servidor da Igreja, bem como assíduo colaborador do jornal “João Semana”.


Na sua substancial homília o Sr. Bispo referiu as três fases da vida de São Cristóvão que podem servir de referência a uma vida cristã empenhada: a permanente conversão de vida, a disponibilidade para servir o próximo, sem excluir ninguém, e a aceitação das pequenas e grandes cruzes, até, se for necessário, como no caso do nosso padroeiro, o martírio.
Prestaram o seu concurso específico diversos elementos dos setores litúrgicos e dos movimentos da Paróquia, estando o canto coral a cargo do grupo juvenil São Cristóvão. Deram-nos o prazer da sua presença, entre outras individualidades, o presidente da Assembleia Municipal, o vice-presidente da Câmara, o presidente da União de Freguesias de Ovar e o presidente dos Bombeiros Voluntários de Ovar, bem como o escultor Luís Ferreira de Matos, a quem a Paróquia agradece a gentil oferta da escultura do padroeiro, que será em breve fundida em bronze, e que ocupará o lugar próprio na fachada da Igreja, em substituição da imagem que se encontrava no nicho, e que, por necessidade de proteção irá ocupar um lugar condigno no interior da Igreja Matriz.


"Sejamos hoje disponíveis, empenhados, dedicados a tantas tarefas úteis e necessárias para que os outros tenham uma vida mais feliz. Por vezes, podemos ser tentados a tudo aduzir: ao poder, à honra, ao prestígio e aos interesses pessoais, mas, como crentes, neste dia de São Cristóvão, convertamo-nos ao genuíno espírito de serviço." (D. António Augusto de Azevedo, Bispo Auxiliar do Porto)

O escultor Luís Ferreira de Matos, natural do nosso concelho,
é o autor da nova imagem de São Cristóvão



Fotos: Jornalista Fernando Pinto