07/10/10

Memórias da Implantação da República

"Quem atentamente tiver seguido os acontecimentos dos últimos anos, desde o regicídio até hoje, reconhecerá que o mal, o grande mal, não está na queda da Monarquia: basta mais uma vez recordar como o país recebeu a República. O que nos mata é uma questão religiosa, porque foi ela que cavou um abismo entre o regime e a nação" (Manuel Isaías Abúndio da Silva - Cartas a um abade sobre alguns aspectos da questão político-religiosa em Portugal. Braga: Cruz & Companhia, 1913, p. 409).


"As medidas anticlericais tomadas pelo Governo Provisório agudizam-se com a publicação da Lei da Separação do Estado das Igrejas, no dia 20 de Abril de 1911. Esta surge assim como resultado do debate iniciado em Portugal no início do séc. XIX, e que havia gerado a questão religiosa.
Como consequência da aplicação desta lei, vários são os bispos desterrados. O Apelo de Santarém, de 1913, reunindo as intenções do episcopado português, acabaria por originar a fundação do Centro Católico Português em 1917. A partir de 1919, ano em que António Lino Neto assume a presidência, a acção do Centro consegue combater com algum sucesso as medidas republicanas radicais, e consegue ainda recuperar alguns dos direitos perdidos pela Igreja Católica". (Marco Silva, in "Agência ECCLESIA - Semanário da actualidade religiosa - Edição especial 5 de Outubro de 2010/Centenário da República)

Comemorações do Centenário da República em Ovar
"OS MONARCAS"
Performance teatral das Comemorações do Centenário da República pelo grupo Sol d'Alma
As cores da República

Grupo Vocal Canto Décimo
Participantes na performance teatral

Fotos do jornalista Fernando Pinto

1 comentário:

Anónimo disse...

Obrigado pela divulgação das fotos. Seria pedir muito, acrescentar na legenda da foto do grupo o nome do grupo de teatro? SOL D'ALMA
Obrigado, Leandro Ribeiro - Encenador