21/11/12

A residência paroquial

Memórias de um antigo sacristão de Ovar
António Dias Fernandes (texto póstumo)

Padre Patarena
Acompanhando as minhas recordações, lembro-me do bom Padre António Joaquim de Oliveira Leite (Patarena), que deixou à Igreja de Ovar toda a sua herança familiar, calculada, então, em cerca de 110 contos. Era Pároco o Rev.mo Padre Crispim Gomes Leite que, com a sua extraordinária estratégia, aproveitou esta oferta e comprou a propriedade contígua à Igreja e ao cemitério, e que era, então, dos senhores Augusto Resende Santos, do Furadouro, e de Albano Pinho Branco, mandando abrir uma rua, hoje Avenida da Igreja(1), e ali construindo a Residência Paroquial.
Ao evocar este Padre, lembro também o bondoso Padre Boaventura Valente de Matos, que lhe sucedeu como Pároco, e o inesquecível Padre Ribeiro Araújo, em cujo coração os pobres tinham um lugar muito especial. Foram sem dúvida grandes amigos meus, sendo difícil esquecê-los.
Recordo, com saudade, aquelas conversas das manhãs de domingo na sacristia, em intervalos de Missas, entre o Pároco, o Sr. Patrício e o Sr. Dr. Eduardo Sousa Lamy. (As viagens descritas por este doutor a quando das suas viagens por Portugal, Espanha, Itália e França deixavam transparecer uma realidade tal que todos nós, sem o notarmos, como que éramos conduzidos por esses países fora!

D. Agostinho de Jesus e Sousa, Bispo do Porto, que visitou a freguesia de Ovar em 22/07/1944 e 13/07/1946,
rodeado pelos sacerdotes Crispim Gomes Leite (abade) e José Ribeiro de Araújo (padre cura, um dos fundadores
do jornal "João Semana". Em cima, da esquerda para a direita: o seminarista Alexandrino Brochado (hoje Monsenhor), e os padres Manuel André Boturão, Manuel Torres, João Maria Gomes Pinto, António Sanfins, António Joaquim Oliveira Leite (Padre Patarena), que nasceu em 1864 e faleceu em 1949, e José Rodrigues Figueiredo.

(1) Posteriormente Avenida do Bom Reitor

Sem comentários: