28/02/13

Bento XVI – rejeitar a ditadura do relativismo

Do colaborador do jornal "João Semana" Dr. Manuel Malícia apresentamos aos nossos leitores a parte final do artigo "Bento XVI – rejeitar a ditadura do relativismo", que vem publicado na edição de 1 de março de 2013 deste quinzenário ovarense a caminho do Centenário (99 anos).

“Fazei coisas belas, mas sobretudo tornai as vossas vidas lugares de
 beleza”
(Bento XVI aos homens da Cultura, na sua visita a Portugal)
Foto: LUSA
"(...) No momento da saída de Bento XVI, voltaria a repetir tudo isto com uma ressalva: Bento XVI tinha e tem razão quando critica a ditadura do relativismo que reina de forma indiscutível na sociedade em que vivemos. Estamos no ponto em que estamos, entre outras razões, porque os valores desapareceram, e vale tudo. Nesta matéria, Bento XVI tinha razão. O seu legado fica para que o avaliemos. O diálogo ecuménico deu fortes passos (apesar do discurso de Ratisbona e de outras visões radicais), e a sua capacidade analítica permitiu-lhe ombrear com as grandes figuras do pensamento contemporâneo; veja-se o livro que resulta das conversas com o filósofo Jurgen Habermas.
Quem estiver atento não ignorará as palavras (mesmo delas divergindo) deste Pai da Igreja cujo lugar na história o tempo ditará. Quem sabe se a sua profundidade de pensamento o colocará lado a lado com Santo Agostinho ou São Tomás de Aquino, com as devidas proporções. O seu exemplo de desprendimento, esse ficará, e merece o nosso declinar de cabeça, ou, como diz o povo, “merece que lhe tiremos o nosso chapéu”.

Sem comentários: