12/03/13

Passos de Ovar dentro de portas

Andor do Senhor dos Passos

Dada a incerteza do tempo, não saiu à rua, na tarde do passado dia 10 de março, a Procissão dos Passos, que desde há quatro séculos percorre, no quarto domingo da Quaresma, as principais artérias de Ovar, com pa­ragem nas monumentais Capelas dedicadas a episódios dolorosos vividos por Cristo no caminho para o Calvário.
Na hora de decidir sobre a saída da Procissão o céu apresentava-se tol­dado de nuvens negras e um pequeno aguaceiro levou as pessoas a reco­lherem-se no átrio da Igreja. Os milhares de ovarenses e de visitantes que se deslocaram à cidade para assistirem ao cortejo religioso puderam, no entanto, e apesar do seu desconsolo, admirar, na Igreja Matriz, as imagens do Senhor dos Passos e de Nossa Senhora da Soledade, esta adornada com o seu belíssimo manto, recentemente restaurado pelas monjas carmelitas de Bande, Paços de Ferreira.

Andor de Nossa Senhora da Soledade
A celebração abriu, na Matriz, com o cântico do “Miserere”, entoado pelo Coro Sacro do Orfeão de Ovar junto da Capela do Pretório, a primei­ra das sete capelas dos Passos.
Após algumas palavras introdutórias do Pároco, Manuel Pires Bastos, e da leitura da passagem do Evangelho relativa à última Ceia de Cristo, tomou a palavra o Pároco de Silvalde, Padre Manuel António Alves da Silva, que, abordando, no seu sermão, mensagens de Bento XVI, dissertou sobre passagens da vida de Jesus, particularmente relacionadas com mo­mentos vividos com sua Mãe, e referiu, atualizando-a, a parábola do Filho Pródigo, texto que fazia parte das leituras da Missa daquele domingo.


Os sermões que, quan­do acontece a Procissão, são pronunciados nas Capelas do Encontro e do Calvário, rela­cionados com a Paixão, Morte e Ressureição de Cristo, fo­ram o fecho condigno desta celebração na Igreja Matriz, em que participaram não só os fiéis e associações católicas, como os Presidentes da Câ­mara e da Assembleia Munici­pal, o Presidente da Junta de Freguesia de Ovar, e representantes dos Bombeiros e de outras instituições locais.
A todos o Pároco agradeceu, englobando a Banda Filarmónica Ovarense e todos os que se empenharam por participar nestas manifestações de fé.


Quinze dias antes, em 24 de fevereiro, Ovar teve o ensejo de viver em plenitude o espírito quaresmal com a saída da Procissão dos Terceiros, que espalhou pelas ruas vareiras a fragrância da espiritualidade que nos legaram alguns homens e mulheres seguidores da regra de S. Francisco, o grande hu­manista que foi modelo de santidade.

As celebrações da Quaresma e Páscoa serão completadas com a Procissão dos Ramos, em 24 de março (com saída da capela do Calvário às 9h30), e com as celebrações de 5.ª Feira Santa (Missa da Última Ceia às 20 horas e a Procis­são do Ecce Homo às 21h30), de 6.ª Feira Santa (Via Sacra nas ruas às 7h30, Leitura da Paixão às 19 horas, e Procissão do Enterro do Senhor às 20h30), de Sábado Santo (Vigília Pascal às 21h30), e de Domingo de Páscoa (Visita Pascal a partir das 14 horas).

Sem comentários: