15/03/16

“Obra Incorporada”

É suposto que uma cruz nos lembre, de imediato, o maior dos crucificados, Jesus Cristo, e o seu grito lancinante: “Pai, porque me abandonaste?”. Mas também nos pode sugerir a dor angustiante de muitos outros homens acusados de acções que não praticaram, ou vítimas de injustiças.
É isso que nos comove quando admiramos as obras de arte que nos legaram grandes mestres da pintura. É isso que buscamos e gostamos de encontrar em qualquer das peças patentes na exposição “Obra Incorporada” presente na Casa-Museu da Fraternidade Franciscana, onde, a partir de uma pequena cruz de madeira, os artistas convidados tentaram interpretar quer o sofrimento redentor de Cristo, como Filho de Deus, quer as agressões infligidas ao homem comum nas mais diversas expressões da sua fragilidade física.


Sem comentários: