18/01/19

Ovar cantou os Reis

"Cantar os Reis há sessenta anos foi percorrer um caminho de uma velha tradição nascida em 1883, pela vontade de meia dúzia de reiseiros, entre eles Alves Cerqueira, que escolhia as músicas, e António Dias Simões, o poeta que escrevia as letras. Todos saíram à rua cantando lindas melodias a evocar o verdadeiro espírito de Natal e a mensagem de Reis, visitando amigos e famílias que os recebiam." (João Costa, na "Reis" 2019, revista oferecida pelo veterano reiseiro ao vice-presidente da CMO, Domingos Silva, em 6 de janeiro último, no Centro de Arte de Ovar, no final da atuação da Trupe JOC/LOC (na foto).
Trupe da ADO

O Auditório do CAO voltou a acolher, na noite de 6 de janeiro, as 14 trupes de Reis. (No dia anterior atuaram as 11 trupes infantis). Algumas trupes cantaram letras anti­gas, como foi o caso da Ovarense (na foto, em cima), que nos seus dois primeiros números homenagearam os saudosos rei­seiros Artur Loureiro e António Sanfins, falecidos em 2018: "Santa noite de Reis! / Que pena ires embora! / Sempre te cantaremos / Ó noite encantadora..."

Trupe do Orfeão de Ovar

Salvador Malheiro, presidente da Câmara Municipal de Ovar (na foto), subiu ao palco do Centro de Arte de Ovar para lembrar que a autarquia resol­veu há uns anos a esta parte prepa­rar uma candida­tura para elevar o Cantar os Reis a Património Cul­tural Imaterial: "Fizemos aqui­lo que estava ao nosso alcance, em parceria com a Universidade de Aveiro, e apresen­támos a nossa candidatura, reparem bem, em dezembro de 2016! Na­turalmente que, desde essa hora, a nossa interferência é nenhuma, mas continuamos todos à espera. Apesar de o prazo máximo ter sido 120 dias, nós estamos há 2 anos à espera. Esta é a justificação que o povo vareiro precisa de saber sobre esta matéria", disse o autarca, prometendo que vão "continuar a interagir com o Ministério da Cultura para que os vareiros possam, de uma vez por todas, ter essa boa notícia de ter a candidatura aprovada".
"Se eu, / Se eu me esquecesse / Desta forma, deste jeito de can­tar... / Essas loas, como outrora / Caminhando, ruas fora, / Como p'las de Ovar...", cantou a Trupe de Reis da Casa da Amizade, versos da autoria da Prof.ª Maria Luísa Resende.

"Casa da Amizade". Trupe de Reis onde reinam as vozes femininas

Texto e fotos: jornalista Fernando Pinto

Sem comentários: